Segunda-feira, 14 de Julho de 2008
Cuba: Entrevista a Francisco Chaviano, coordinador de Unidad Liberal
Via: Unión Liberal CubanaPor Frank CorreaHace unos días, la Unidad Liberal de la República de Cuba dio a conocer su Proyecto de Cambio, donde resume en 19 puntos los acápites más importantes para lograr la transición en Cuba 1chavianolibre[1].JPGFrank Correa: ¿Cuáles fueron los antecedentes del Proyecto de Cambio?Francisco Chaviano: El proyecto se gestó en la prisión Combinado del Este luego de leer algunos trabajos sobre el tema, y llegar a la conclusión de que se necesitaba una forma más sencilla de esbozar un proyecto de transición para que fuera comprensible. Ya en libertad lo propuse a la Unidad Liberal de la República de Cuba (ULRC), y se creó una comisión con representantes de cada uno de los grupos que conforman la ULRC, al frente de la cual estuvo Pablo Silva Cabrera, presidente de Partido Solidaridad Democrática. El proyecto se debatió ampliamente hasta que fue aprobado. Se trata de un paso más en esta lucha. FC: ¿Cree usted que los grupos de la oposición están listos para despojarse del protagonismo y el conflicto de intereses que a veces los agobia?FCh: Es el momento de hacerlo y un viejo anhelo de los opositores que ha sido torpedeado durante mucho tiempo por la policía política. Estamos plagados de provocadores cuya misión es echar a rodar rumores, malos entendidos y calumnias; pero también se está consolidando una oposición experimentada que no quiere emigrar sino transformar nuestra Patria. Con ese empeño se concibió la Agenda para la Transición. Los que sean verdaderos patriotas se irán integrando poco a poco.FC: ¿Dónde cree que radica el mayor problema para que fructifiquen las ideas de la Unidad Liberal?FCh: El problema principal es de orden económico. El Movimiento 26 de Julio contaba con una base popular solvente, donde había empresarios de todos los sectores, y no había tanto control policial, por lo que ese movimiento podía actuar casi impunemente. Nosotros no podemos contar con recursos económicos. Nuestras filas se nutren de personas muy pobres que no cuentan con recursos, y que viven inmersas en el delito como único modo de sobrevivir. Además, el control policial es enorme. Esto último significa que al momento de convertirte en opositor, es como si te suicidaras económicamente, y ahí está la clave de la gran limitación de los grupos. FC: ¿Están el exilio y la oposición interna en la misma frecuencia?FCh: Todos somos objeto de la misma agresión. El exilio sufre lo suyo, tal vez tengan hasta más infiltrados que nosotros porque, por supuesto, allí hay mucho más que espiar que aquí. Es necesario que ellos comiencen el proceso de unirse igual que nosotros. Ellos tienen su papel, muy importante, y nosotros el nuestro.

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 09:00
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

CHRIS GEOFFROY - A última...

BOLIVAR LUSÍADAS PROTAGON...

ANTÓNIO MEXIA - É SÓ COIN...

PROGRESSIVIDADE FISCAL

MENINAS E MENINOS DE OURO

CÂNTICO NEGRO - JOSÉ RÉGI...

ANTÓNIO COSTA, DEMITA-SE!

DESERTIFICAÇÃO...

MONUMENTO DE HOMENAGEM AO...

O ASTÉRIX QUE SE CUIDE!

Banner Publipt
arquivos

Fevereiro 2019

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds