Terça-feira, 19 de Abril de 2016
SIM A MENOS BARRAGENS

A propósito da decisão (tardia) do governo actual de desistir da construção de algumas barragens, lembrei-me das declarações prestadas por mim, à porta da EDP, no dia 25 de Maio de 2011, a meio da campanha das eleições legislativas. Presente apenas a jornalista Andreia Brito da Antena 1, que as colocou no ar. Sintomaticamente no resto da campanha só voltou a aparecer algum jornalista no último dia de campanha e ao fim da tarde...

IMG00153-20110524-1922.jpg

Os candidatos do Partido da Nova Democracia pretendem fazer alguma luz sobre mais umas ruinosas negociatas feitas pelo poder, negociatas essas que os portugueses vão pagar durante muitos anos!

Trata-se da Parceria Público Privada para as barragens. Estranhamente, esta é quase desconhecida do público em geral, apesar de representar 12% do total do investimento, ou seja o triplo do TGV, de que tanto se fala.

A ausência deste tema da discussão política é mais um daqueles mistérios que há em Portugal, onde alguns poderosos se habituaram a condicionar tudo e todos, sem serem confrontados. Com o PND no Parlamento, isso vai acabar!

Esta PPP representará um custo anual de 24 milhões de euros. E tal como noutras PPP, o Estado assume os riscos e as concessionárias os lucros!
O custo total desta PPP será de cerca de 7 mil milhões de euros! Apenas como comparação, este valor é cerca de 9% da ajuda externa que vamos receber!

São 7 mil milhões de euros para produzir apenas 1% da energia nacional. 1%!
E é mentira o que foi dito pelo primeiro ministro (José Sócrates), de que as novas barragens representariam a importação de menos 3,3 milhões de barris de petróleo. Como, se em Portugal não há nenhuma central termoeléctrica que utilize petróleo para produzir energia eléctrica?

O 1% de energia que se vai obter com estas barragens seria facilmente poupado com adequadas medidas de uso eficiente da energia e a custos muito mais baixos.

As consequências ambientais destas barragens serão desastrosas. É de temer o desaparecimento de espécies como a lampreia, o sável, a enguia ou o salmão devido às alterações de caudais dos rios.

Também a qualidade da água ficará comprometida, sendo muito provável que Portugal não consiga cumprir a Directiva Quadro da Água. Nesse caso, quem pagará as multas? As concessionárias? Claro que não! Como de costume nestas negociatas do governo será o contribuinte o pagador!

Por fim, também a nível ambiental se constata que mais barragens representam maior retenção de sedimentos e maior erosão marítima, com todos os custos inerentes a este facto!

Também deveria ser levado em consideração que, com o aquecimento global dentro de 40 ou 50 anos os caudais dos rios serão muito menores, o que provocará quebras de produção de mais de 50%, o que torna estas novas barragens ainda mais inúteis!

Estas PPP são ruinosas para Portugal e um crime ambiental grave. Devem ser imediatamente abandonadas, sob risco de comprometermos ainda mais o futuro dos nossos filhos, quer do ponto de vista financeiro, quer ambiental! 

 



publicado por João Carvalho Fernandes às 19:45
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30


posts recentes

BOLIVAR LUSÍADAS PROTAGON...

ANTÓNIO MEXIA - É SÓ COIN...

PROGRESSIVIDADE FISCAL

MENINAS E MENINOS DE OURO

CÂNTICO NEGRO - JOSÉ RÉGI...

ANTÓNIO COSTA, DEMITA-SE!

DESERTIFICAÇÃO...

MONUMENTO DE HOMENAGEM AO...

O ASTÉRIX QUE SE CUIDE!

CHURCHILL - WE SHAL FIGHT...

Banner Publipt
arquivos

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds