Sábado, 26 de Julho de 2003
UMA ROSA
Uma Rosa, para a Rita e a Margarida

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 02:07
link do post | comentar | favorito

...
Uma Rosa, para a Rita e a Margarida




publicado por João Carvalho Fernandes às 02:07
link do post | comentar | favorito

...
LINKS

Como vejo que pouca gente consulta os links de sites (ali à direita...) e para terem qualquer coisa para fazer, agora que durante quase um mês as actualizações do Fumaças vão ser escassas e imprevistas, deixo-vos todos os links até há dez dias atrás.

DIVIRTAM-SE:


SITES</a>


DIVERSOS</a>

Site do Oceanário

reporterX.net

We love the Iraqui Information Minister


COMUNICAÇÃO SOCIAL</a>

Jornal de Angola

L'EXPRESS

National Review

Liberation

La Nueva Cuba

Puente Informativo Cuba Miami

Libertad digital - Espanha


DIREITOS HUMANOS</a>

Siahsepid

Student Movement Committee for Democracy in Iran

Reporters Sans Frontières


CONSTELACAO LIBERAL</a>

NOVA DEMOCRACIA

Causa Liberal

Libres

ELDR - European Liberal Democrats

Parti Radical

Cato Institute

The Karl Popper Web

liberaux.org


SITES CHARUTOS</a>

L'amateur de Cigare

Cigar Aficionado

Fujipub.com - Cigar Page

Smoke

Gerard - pere et fils

Condal & Penamil

Cigar World


SITES VINHOS</a>

Quinta do Portal

Sandeman

Fonseca Guimaraens

Coisas do Arco do Vinho

Associacao das Empresas de Vinho do Porto

Viniturismo (loja)

Club Vintage (loja)

Vinho & Coisas (loja)

Venha a Vinha (loja)

Sabores e Aventuras (parte ainda em construcao)

Os 5 as 8


SITES CIENCIA/EDUCACAO</a>

Ciencia Viva

La main a la pate


SITES DIREITO</a>

Antigona


SITES GASTRONOMIA</a>

Guia Gault Millau

Cuisine et Terroirs

Cuisine et Vins de France

Globe-Gate Gourmet

Alain Passard

Bernard Loiseau

Pierre Troisgros


SITES BD</a>

XIII non officiel

Encyclo'BD

BD Paradisio

L@BD

BoDoi

Le Decalogue

Le Petit Spirou

Bulledair

Largo Winch

Natachamania


SITES VIAGENS</a>

BLUE

Secret Places

Hotelito

World Hum

Choupana Hills - Madeira

Charming Hotels - Madeira

Quinta da Achada - Madeira

Quintinha Sao Joao - Madeira

Quinta Casa Branca - Madeira

All about Rio

Atmosphere Hotels

Relais et Chateaux

Paradores


SITES MUSEUS</a>

Louvre - Paris

MOMA - New York

Hermitage - St Petersburg


SITES HISTÓRIA</a>

La Aventura de la Historia

Historia Mensuel


SITES BOLSA </a>

Portugal</a>

Portal de Bolsa

Negocios

Caldeirao de Bolsa

Clube Invest

Espanha</a>

Bols@mania

Dineralia

U.K.</a>

London Stock Exchange

USA</a>

On Markets

Big Charts

Stockcharts


SITES DESPORTO</a>

Basquetebol</a>

NBA

On Fire

Basquetebol On Line.pt

Liga dos Clubes de Basquetebol


SITES CRIANÇAS</a>

Disney Online

DisneyWorld Florida

DisneyWorld Paris

DisneyLand California

TokyoDisney


SITES BRINQUEDOS </a>

Museu do Brinquedo

Casas de Bonecas

Action Man

Barbie


SITES MUSICA</a>

Amalia

Alfredo Marceneiro

Jorge Palma

Xutos&Pontapes

Tantra

Maria Bethania

Raul Seixas

Enrico Caruso

New Order

Electric Light Orchestra

Queen


SITES COLECCOES CROMOS</a>

Merlin

Panini



publicado por João Carvalho Fernandes às 02:00
link do post | comentar | favorito

VIVA AS FÉRIAS, FORA AS AULAS
VIVA AS FÉRIAS, FORA AS AULASQuando andava no liceu, no último dia de aulas, na carrinha que nos levava para casa, cantava-se uma cantiga com este refrão.Passados muitos anos, sempre que chega este (*) ansiado dia, lembro-me da cantilena.
(*) FÉRIAS

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 01:24
link do post | comentar | favorito

...
VIVA AS FÉRIAS, FORA AS AULAS

Quando andava no liceu, no último dia de aulas, na carrinha que nos levava para casa, cantava-se uma cantiga com este refrão.

Passados muitos anos, sempre que chega este (*) ansiado dia, lembro-me da cantilena.




(*) FÉRIAS


publicado por João Carvalho Fernandes às 01:24
link do post | comentar | favorito

MADEIRA (III)
Nesta muito breve abordagem, que será mais expandida daqui a algum tempo, apenas mais um tema:Se estiver bom tempo, recomendo um passeio por uma levada; uma das melhores para iniciação é a que parte do Ribeiro Frio (onde há os viveiros de trutas) e acaba na Portela.O texto que se segue é do já citado site Madeira-web.Só para os que estão em boa forma, os mais novos e os aventureiros???Ao aproximar-se da Madeira, por ar ou por mar, irá ver os terrenos acidentados e concluir que caminhar pela ilha será só para os que estão em boa forma física, os mais novos e aventureiros... Não é bem assim!! Se ainda não passeou pelas paisagens maravilhosas da ilha, então ainda não viu o melhor da Madeira. As levadas são geralmente acessíveis, fáceis de localizar e, na maioria dos locais, poderá passear sem grande esforço.LEVADAS: Tais cursos de água não são exclusivos da Madeira: o que é único é a sua acessibilidade e extensão. Basta aventurar-se apenas um bocado para fora das estradas principais para começar a apreciar a miríade de aquedutos da Madeira - pela sua beleza e engenhosidade de concepção e pela coragem e determinação necessárias para concretizar o conceito até atingir a sua presente glória. O sistema de irrigação da ilha é actualmente composto por uns impressionantes 2150 km de canais, incluindo 40km de túneis - e o trabalho iniciou-se há séculos atrás. Os primeiros povoadores da Madeira começaram a cultivar as encostas mais baixas do sul da ilha, cortando poios (socalcos). Trabalhando com empreiteiros (que por vezes utilizavam trabalhadores escravos ou condenados) eles construíram as primeiras pequenas levadas, que transportavam água das nascentes mais acima nas encostas dos montes até às suas terras. A primeira legislação a regulamentar a utilização das levadas e os direitos de água data da segunda metade do século XV.Nos princípios do século XX, havia cerca de 200 destas levadas, serpenteando por mais de 1000km. Muitas pertenciam a particulares e a apropriação indisciplinada de água fazia com que o bem mais valioso da ilha fosse frequentemente distribuído de forma injusta. De facto, em meados da década de 1930, apenas dois terços da terra arável da ilha estavam a ser cultivados - e apenas metade desses eram irrigados.Só o Estado possuía os meios económicos necessários para implementar um programa de construção em larga escala e a autoridade para impôr um sistema mais equitativo de distribuição.Porque a verdade é que havia muita água para irrigação e torrentes que chegavam para gerar toda a energia necessária. As nuvens arrastadas para a ilha pelos ventos predominantes de nordeste são apanhadas pela cadeia montanhosa central, chegando a cair 2 metros de chuva por ano, no norte, enquanto que na costa meridional o tempo seco pode durar até seis meses.Na realidade, a ilha é um enorme reservatório auto-regulado, retendo até um máximo de 200 milhões de metros cúbicos de água. A chuva infiltra-se pelas cinzas vulcânicas e porosas, até encontrar camadas de argila basáltica e laterita - ambas bastante impermeáveis. Aqui, a água irrompe novamente em nascentes e, quando não canalizada, desce livremente, como sempre o fez durante séculos, por incontáveis ravinas até chegar ao mar. Em 1939, o governo enviou uma missão à ilha para estudar um plano global hidroeléctrico e de irrigação. As 'novas' levadas criadas a partir destes planos são captadas a uma altitude de cerca de 1000m, onde é maior a concentração de precipitação, de orvalhos e de nascentes. A água é levada primeiro para centrais eléctricas situadas imediatamente acima da terra arável (a cerca de 600m) e depois segue o seu caminho descendo para as zonas irrigadas. Aqui, a distribuição é feita pelo levadeiro, que regula a distribuição da água para cada um dos proprietários.Grande parte dos planos de desenvolvimento da missão estavam já implementados em 1970. Entre os projectos mais importantes contam-se a Levada do Norte e a Levada dos Tornos, que irá descobrir quando fizer excursões, passeios a pé ou piqueniques pela ilha. É mais fácil compreender o seu incrível comprimento, tendo em atenção o tipo de terreno, olhando para o mapa turístico desdobrável. O empreendimento demorou apenas 25 anos a completar, embora tenha sido todo feito à mão. Como terão sido escavados os túneis em basalto sólido? Como é que os trabalhadores escavaram as levadas por baixo de cascatas geladas, a meio caminho entre a terra e o céu? Frequentemente, como aconteceu durante a construção da estrada costeira entre São Vicente e Porto Moniz, eles eram suspensos do alto em cestos de vime, enquanto atacavam a pedra resistente com as suas picaretas. Muitos perderam a vida para levar água e electricidade aos ilhéus e uma alegria inesgotável para aqueles que escutam o hino das suas águas.Fotos de Miguel Iglesias in Tierra Trágame

O texto seguinte é do site Oficial do Turismo:Ribeiro Frio / Portela - 10 Km - 4 horasEste passeio pode ser feito sem riscos por qualquer pessoa que goste de andar a pé . São 10 quilómetros: 8 em plano, na esplanada da levada da Serra do Faial desde o Ribeiro Frio até a casa de divisão de águas; mais 2 até o miradouro da Portela.A esta altitude os nevoeiros e as chuvas são frequentes e as temperaturas, em média, 5 graus mais baixas que no Funchal. Leve calçado próprio para piso molhado e não se esqueça do impermeável.Sem pressas e saboreando a grandiosidade do relevo e as delicadas formas dos seres vivos, o passeio nesta parte da levada da Serra permite, também, constatar quão difícil foi a abertura dos canais para transporte de água desde as nascentes da vertente norte até as terras sequiosas do litoral sul.Ao longo desta levada é possível descobrir, por entre os multivariados tons de verde da floresta, delicadas flores brotando de pequenas plantas que gostam de viver em ambiente de forte humidade e fraca luminosidade.Nesta viagem pelo interior da Natureza purificadora, é possível que aviste o bisbis, o mais pequeno dos pássaros que povoam a Madeira, a saltitar de um ramo para outro à procura de larvas e insectos. O melro preto também por aqui aparece à procura de bagas e de pequenos bichos, alegrando o ambiente com o seu canto forte e melodioso. Visitas frequentes desta floresta são o tentilhão e a lavadeira, que em troca do alimento dão alegres concertos. Mais raro é o grande pombo trocaz. Com alguma sorte poderá ver a Manta, ave de rapina que vem até à floresta caçar pássaros, coelhos ou ratos, e faz os seus grandes ninhos nas copas dos loureiros.Quando não há nevoeiro é possível, nalguns cotovios da levada, observar a paisagem para além da floresta. São surpreendentes os campos do Faial, São Roque do Faial e Porto da Cruz com o casario disperso nas achadas e alinhado nas cumeeiras dos lombos. A enorme asa rochosa da Penha de Águia avançando com audácia sobre o poderoso Atlântico protege a oriente a baía do Faial, enquanto a ocidente a Ponta dos Clérigos faz o que pode para evitar o embate a noroeste. As águas do Ribeiro Frio, ribeira da Metade e ribeira Seca encontram-se à beira mar e juntas desaparecem no oceano.Do estudo das plantas e animais isolados à abordagem sistémica do ambiente, do escutar o silêncio ao inspirar ar puro, ecólogos ou simples amantes da Natureza encontram neste passeio motivos bastantes de prazer e reflexão.Características: A maior parte do passeio é feito na esplanada da levada da Serra do Faial, que está protegida por varandas e sebes naturais. A descida para a Portela é pouco acentuada e não oferece qualquer perigo. O piso está em bom estado. Apesar de haver no Ribeiro Frio a indicação de 8 quilómetros para a distância até a Portela , a verdade é que a extensão do percurso entre estes dois lugares é ligeiramente superior a 10 Km : 8 Km é apenas o troço da levada entre o Ribeiro Frio e a divisória das águas; daqui até a Portela são pouco mais de 2 quilómetros.Se exceptuarmos este lapso, o percurso está bem sinalizado: - Junto à casa da divisão das águas é clara a indicação dos caminhos para o Santo da Serra e para a Portela. - Cerca de 200 metros abaixo há o Posto Florestal dos Lamaceiros e um pouco mais adiante surgem duas novas opções: Portela ou Santo da Serra, mais propriamente para o Sítio do Lombo das Faias. - Seguindo na direcção da Portela há ainda a possibilidade de escolher entre a vereda para este miradouro e a descida para a Referta no Porto da Cruz.

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 00:54
link do post | comentar | favorito

...
MADEIRA (III)

Nesta muito breve abordagem, que será mais expandida daqui a algum tempo, apenas mais um tema:

Se estiver bom tempo, recomendo um passeio por uma levada; uma das melhores para iniciação é a que parte do Ribeiro Frio (onde há os viveiros de trutas) e acaba na Portela.


O texto que se segue é do já citado site Madeira-web.

Só para os que estão em boa forma, os mais novos e os aventureiros???

Ao aproximar-se da Madeira, por ar ou por mar, irá ver os terrenos acidentados e concluir que caminhar pela ilha será só para os que estão em boa forma física, os mais novos e aventureiros... Não é bem assim!!
Se ainda não passeou pelas paisagens maravilhosas da ilha, então ainda não viu o melhor da Madeira. As levadas são geralmente acessíveis, fáceis de localizar e, na maioria dos locais, poderá passear sem grande esforço.

LEVADAS:

Tais cursos de água não são exclusivos da Madeira: o que é único é a sua acessibilidade e extensão. Basta aventurar-se apenas um bocado para fora das estradas principais para começar a apreciar a miríade de aquedutos da Madeira - pela sua beleza e engenhosidade de concepção e pela coragem e determinação necessárias para concretizar o conceito até atingir a sua presente glória. O sistema de irrigação da ilha é actualmente composto por uns impressionantes 2150 km de canais, incluindo 40km de túneis - e o trabalho iniciou-se há séculos atrás.
Os primeiros povoadores da Madeira começaram a cultivar as encostas mais baixas do sul da ilha, cortando poios (socalcos). Trabalhando com empreiteiros (que por vezes utilizavam trabalhadores escravos ou condenados) eles construíram as primeiras pequenas levadas, que transportavam água das nascentes mais acima nas encostas dos montes até às suas terras. A primeira legislação a regulamentar a utilização das levadas e os direitos de água data da segunda metade do século XV.
Nos princípios do século XX, havia cerca de 200 destas levadas, serpenteando por mais de 1000km. Muitas pertenciam a particulares e a apropriação indisciplinada de água fazia com que o bem mais valioso da ilha fosse frequentemente distribuído de forma injusta. De facto, em meados da década de 1930, apenas dois terços da terra arável da ilha estavam a ser cultivados - e apenas metade desses eram irrigados.
Só o Estado possuía os meios económicos necessários para implementar um programa de construção em larga escala e a autoridade para impôr um sistema mais equitativo de distribuição.
Porque a verdade é que havia muita água para irrigação e torrentes que chegavam para gerar toda a energia necessária. As nuvens arrastadas para a ilha pelos ventos predominantes de nordeste são apanhadas pela cadeia montanhosa central, chegando a cair 2 metros de chuva por ano, no norte, enquanto que na costa meridional o tempo seco pode durar até seis meses.
Na realidade, a ilha é um enorme reservatório auto-regulado, retendo até um máximo de 200 milhões de metros cúbicos de água. A chuva infiltra-se pelas cinzas vulcânicas e porosas, até encontrar camadas de argila basáltica e laterita - ambas bastante impermeáveis. Aqui, a água irrompe novamente em nascentes e, quando não canalizada, desce livremente, como sempre o fez durante séculos, por incontáveis ravinas até chegar ao mar.
Em 1939, o governo enviou uma missão à ilha para estudar um plano global hidroeléctrico e de irrigação. As 'novas' levadas criadas a partir destes planos são captadas a uma altitude de cerca de 1000m, onde é maior a concentração de precipitação, de orvalhos e de nascentes. A água é levada primeiro para centrais eléctricas situadas imediatamente acima da terra arável (a cerca de 600m) e depois segue o seu caminho descendo para as zonas irrigadas. Aqui, a distribuição é feita pelo levadeiro, que regula a distribuição da água para cada um dos proprietários.
Grande parte dos planos de desenvolvimento da missão estavam já implementados em 1970. Entre os projectos mais importantes contam-se a Levada do Norte e a Levada dos Tornos, que irá descobrir quando fizer excursões, passeios a pé ou piqueniques pela ilha. É mais fácil compreender o seu incrível comprimento, tendo em atenção o tipo de terreno, olhando para o mapa turístico desdobrável. O empreendimento demorou apenas 25 anos a completar, embora tenha sido todo feito à mão. Como terão sido escavados os túneis em basalto sólido? Como é que os trabalhadores escavaram as levadas por baixo de cascatas geladas, a meio caminho entre a terra e o céu? Frequentemente, como aconteceu durante a construção da estrada costeira entre São Vicente e Porto Moniz, eles eram suspensos do alto em cestos de vime, enquanto atacavam a pedra resistente com as suas picaretas. Muitos perderam a vida para levar água e electricidade aos ilhéus e uma alegria inesgotável para aqueles que escutam o hino das suas águas.


Fotos de Miguel Iglesias in Tierra Trágame








O texto seguinte é do site Oficial do Turismo:

Ribeiro Frio / Portela - 10 Km - 4 horas

Este passeio pode ser feito sem riscos por qualquer pessoa que goste de andar a pé . São 10 quilómetros: 8 em plano, na esplanada da levada da Serra do Faial desde o Ribeiro Frio até a casa de divisão de águas; mais 2 até o miradouro da Portela.
A esta altitude os nevoeiros e as chuvas são frequentes e as temperaturas, em média, 5 graus mais baixas que no Funchal. Leve calçado próprio para piso molhado e não se esqueça do impermeável.
Sem pressas e saboreando a grandiosidade do relevo e as delicadas formas dos seres vivos, o passeio nesta parte da levada da Serra permite, também, constatar quão difícil foi a abertura dos canais para transporte de água desde as nascentes da vertente norte até as terras sequiosas do litoral sul.
Ao longo desta levada é possível descobrir, por entre os multivariados tons de verde da floresta, delicadas flores brotando de pequenas plantas que gostam de viver em ambiente de forte humidade e fraca luminosidade.
Nesta viagem pelo interior da Natureza purificadora, é possível que aviste o bisbis, o mais pequeno dos pássaros que povoam a Madeira, a saltitar de um ramo para outro à procura de larvas e insectos. O melro preto também por aqui aparece à procura de bagas e de pequenos bichos, alegrando o ambiente com o seu canto forte e melodioso. Visitas frequentes desta floresta são o tentilhão e a lavadeira, que em troca do alimento dão alegres concertos. Mais raro é o grande pombo trocaz. Com alguma sorte poderá ver a Manta, ave de rapina que vem até à floresta caçar pássaros, coelhos ou ratos, e faz os seus grandes ninhos nas copas dos loureiros.
Quando não há nevoeiro é possível, nalguns cotovios da levada, observar a paisagem para além da floresta. São surpreendentes os campos do Faial, São Roque do Faial e Porto da Cruz com o casario disperso nas achadas e alinhado nas cumeeiras dos lombos. A enorme asa rochosa da Penha de Águia avançando com audácia sobre o poderoso Atlântico protege a oriente a baía do Faial, enquanto a ocidente a Ponta dos Clérigos faz o que pode para evitar o embate a noroeste. As águas do Ribeiro Frio, ribeira da Metade e ribeira Seca encontram-se à beira mar e juntas desaparecem no oceano.
Do estudo das plantas e animais isolados à abordagem sistémica do ambiente, do escutar o silêncio ao inspirar ar puro, ecólogos ou simples amantes da Natureza encontram neste passeio motivos bastantes de prazer e reflexão.

Características: A maior parte do passeio é feito na esplanada da levada da Serra do Faial, que está protegida por varandas e sebes naturais. A descida para a Portela é pouco acentuada e não oferece qualquer perigo. O piso está em bom estado. Apesar de haver no Ribeiro Frio a indicação de 8 quilómetros para a distância até a Portela , a verdade é que a extensão do percurso entre estes dois lugares é ligeiramente superior a 10 Km : 8 Km é apenas o troço da levada entre o Ribeiro Frio e a divisória das águas; daqui até a Portela são pouco mais de 2 quilómetros.
Se exceptuarmos este lapso, o percurso está bem sinalizado: - Junto à casa da divisão das águas é clara a indicação dos caminhos para o Santo da Serra e para a Portela. - Cerca de 200 metros abaixo há o Posto Florestal dos Lamaceiros e um pouco mais adiante surgem duas novas opções: Portela ou Santo da Serra, mais propriamente para o Sítio do Lombo das Faias. - Seguindo na direcção da Portela há ainda a possibilidade de escolher entre a vereda para este miradouro e a descida para a Referta no Porto da Cruz.


publicado por João Carvalho Fernandes às 00:54
link do post | comentar | favorito

MADEIRA (II)
Como portais sobre a Madeira, recomendo os seguintes:Site Oficial do Turismo da Madeira Muito completo, com informações em quase todas as áreas, desde informações gerais, a hotéis e restaurantes, passando pelos principais eventos, desporto, cultura, passeios, etc. Madinfo Também muito completo, com muita informação e muitas fotos.Madeira-web Os pontos fortes são as fotos e os mapas e a Visita Guiada, com dúzias de pontos pela ilha, com fotos e descrição de cada área focada. Também tem fotos captadas por uma webcam, actualizadas, de dia, a cada cerca de dez minutos.

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 00:44
link do post | comentar | favorito

...
MADEIRA (II)

Como portais sobre a Madeira, recomendo os seguintes:

Site Oficial do Turismo da Madeira Muito completo, com informações em quase todas as áreas, desde informações gerais, a hotéis e restaurantes, passando pelos principais eventos, desporto, cultura, passeios, etc.

Madinfo Também muito completo, com muita informação e muitas fotos.

Madeira-web Os pontos fortes são as fotos e os mapas e a Visita Guiada, com dúzias de pontos pela ilha, com fotos e descrição de cada área focada. Também tem fotos captadas por uma webcam, actualizadas, de dia, a cada cerca de dez minutos.


publicado por João Carvalho Fernandes às 00:44
link do post | comentar | favorito

...
MADEIRA (I)

A escolha do Hotel, é o primeiro passo, para quem se desloque em turismo para a Madeira.

Para terem uma ideia dos vários hotéis e outros alojamentos disponíveis, podem começar por consultar este site:

Hotéis Madeira.

O melhor conselho é sempre o seguinte: procurem folhetos em agências, para poder comparar preços; às vezes há grandes diferenças entre operadores. Também convem consultar a Air Luxor e a TAP:

Air Luxor - programas Madeira.

TAP - programas Madeira.


Entre as muitas escolhas possíveis destaco os seguintes:

Tivoli Ocean Park Quanto a mim, entre os 5 estrelas, tem a melhor relação qualidade/preço dos hotéis do Funchal.

Hotel Baía Azul Localizado junto à "Promenade", é um dos melhores 4 estrelas.

Quinta do Furão Um excelente hotel, situado em Santana, no norte da ilha.


publicado por João Carvalho Fernandes às 00:20
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30


posts recentes

BOLIVAR LUSÍADAS PROTAGON...

ANTÓNIO MEXIA - É SÓ COIN...

PROGRESSIVIDADE FISCAL

MENINAS E MENINOS DE OURO

CÂNTICO NEGRO - JOSÉ RÉGI...

ANTÓNIO COSTA, DEMITA-SE!

DESERTIFICAÇÃO...

MONUMENTO DE HOMENAGEM AO...

O ASTÉRIX QUE SE CUIDE!

CHURCHILL - WE SHAL FIGHT...

Banner Publipt
arquivos

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds