Quarta-feira, 31 de Agosto de 2005
EMEL - O PARADIGMA DA MÁ GESTÃO AUTÁRQUICA
A não perder a implacável (e cheia de razão) análise de Jorge Ferreira a esta empresa do munícipio de Lisboa:Olissipo

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 20:02
link do post | comentar | favorito

A RE-RE-CANDIDATURA DE MÁRIO SOARES
Muito breves notas sobre o discurso:

Três quartos de hora algo fastidiosos...

Um longo piscar de olho ao eleitorado mais jovem, com abundantes referências a aspectos ecológicos e à paz...

Retive duas ideias - luta contra o despesismo e a corrupção. (o que só prova que se está sempre a tempo de mudar - até com 81 anos!)

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 19:15
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito

NOVO E-MAIL
O Fumaças tem novo e-mail. Dado que têm ocorrido algumas dificuldades com os comentários, poderão sempre utilizar esta alternativa.

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 13:00
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

CAI CHUVA DO CÉU CINZENTO - FERNANDO PESSOA
Cai chuva do céu cinzentoQue não tem razão de ser.Até o meu pensamentoTem chuva nele a escorrer.Tenho uma grande tristezaAcrescentada à que sinto.Quero dizer-ma mas pesaO quanto comigo minto.Porque verdadeiramenteNão sei se estou triste ou não,E a chuva cai levemente(Porque Verlaine consente)Dentro do meu coração.Fernando Pessoa

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 10:00
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 30 de Agosto de 2005
PORTUGAL APRESENTA CARÊNCIAS A NÍVEL DE SEGURANÇA AÉREA
aviao.jpgA Organização Internacional da Aviação Civil inclui Portugal numa lista de 54 países que, segundo a Organização, não controlam correctamente as normas de segurança, apresentado carências nesta área.Portugal - país a evitar

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 14:11
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Liberen a los prisioneros políticos cubanos
Via: logoSigloXXI.gifSiglo XXI - Comité Cubano Pro Derechos HumanosOSWALDO PAYA SARDIÑASLa Habana-- Es un reflejo de un sistema judicial independiente que un tribunal de los Estados Unidos de América reconozca a los cinco cubanos encarcelados en ese país el derecho y la oportunidad de un proceso de reclamaciones que pudiera concluir con un nuevo juicio, si se demostrara que el proceso en el que fueron condenados no fue justo e imparcial.Es inadmisible que se relacione este asunto con el encarcelamiento de 75 cubanos en Cuba y que se condicione la liberación de éstos a los resultados del proceso que se sigue en los Estados Unidos. A lo que nos referiremos es a la actuación contrastante del gobierno de Cuba, que apoya la reclamación de justicia y juicios imparciales ante tribunales extranjeros para cinco cubanos, pero que ordena la detención, los juicios y las condenas altísimas contra personas totalmente inocentes.Los detuvieron en verdaderos asaltos de terror contra ellos y sus familias. Los vejaron y maltrataron de diversas maneras. Les celebraron juicios sumarísimos totalmente falsos, arreglados de antemano y llenos de descaradas irregularidades. Les acusaron nada menos que de atentar contra la integridad territorial y la independencia nacional, pero en las propias actas oficiales de los juicios no se refleja un solo hecho que los vincule ni remotamente a esos delitos, ni a ningún otro delito. Actualmente están confinados con prisioneros comunes de altísima peligrosidad y sometidos a un régimen cruel e inhumano que deteriora peligrosamente la salud de todos estos prisioneros políticos pacíficos.Hay una verdad que no se ha reconocido por el gobierno y que ha sido silenciada por otros sectores: la presentación de miles de firmas apoyando el Proyecto Varela y el auge que éste ha alcanzado fue la causa de esta decisión política represiva del gobierno para intimidar al pueblo y aniquilar la oposición pacífica. Por eso encarcelaron a los prisioneros de ''la primavera de Cuba''. La mayoría trabajaban en esta campaña del Proyecto Varela y todos sin distinción defendían los derechos humanos, algunos de ellos ejerciendo el periodismo independiente.Ni nosotros ni nuestros compañeros que están en prisión han olvidado que esta campaña por el Proyecto Varela, que aún continúa, ha sido la causa del encarcelamiento de los prisioneros de la primavera de Cuba. Tampoco los familiares de los prisioneros, ni los opositores, ni el exilio debería olvidar ni silenciar esta verdad porque sería dejar el espacio a la mentira y la calumnia. El gobierno los encarceló para silenciar un proceso apoyado en la Constitución, en el que miles de cubanos piden un referendo para que se produzcan los cambios que Cuba quiere y necesita. Si el mundo y el pueblo de Cuba no conocen esta verdad, entonces no podrán comprender la magnitud de esta injusticia. Reiteradamente agentes de la Seguridad del Estado infiltrados en grupos de la oposición han reconocido públicamente que ellos mismos eran los que inventaban noticias y mentían preparando informes para prestigiosos organismos internacionales. Eran los agentes de Seguridad del Estado los que cometían y cometen inmoralidades y siembran la mentira para desprestigiar a la oposición pacífica. Inclusive en declaraciones en televisión alardearon de sus mentiras e insistieron en que la oposición no tiene ningún proyecto, en desesperado intento de negar la existencia del Proyecto Varela, que el gobierno no se atreve a publicar.¿En qué ciudad de Cuba puede realizárseles un juicio justo e imparcial a estos cubanos? ¿Qué tribunal declarará nulos por ilegítimos y falsos estos juicios en los que les condenaron?El gobierno de Cuba, que ordenó la condena y encarcelamiento de los pacíficos defensores de los derechos humanos tiene la obligación histórica y moral de ordenar su liberación incondicional, libres de todo cargo y sentencia.Todos los cubanos deben defender su dignidad junto con todos los gobiernos, las organizaciones, iglesias y ciudadanos honestos en todo el mundo, deben pedir la liberación de los prisioneros de la primavera de Cuba y de todos los prisioneros políticos pacíficos cubanos.Coordinador del Movimiento Cristiano Liberación.

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 08:30
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 29 de Agosto de 2005
NOVOS BLOGS: LISBOA-LONDON, ZOOMARINE, MY GUIDE TO YOUR GALAXY
Numa altura em que desapareceram muitos blogs, também surgiram novos, que valem a pena. Como estes:lisboa-london
Zoomarine
My Guide to your Galaxy

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 09:00
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 26 de Agosto de 2005
WALT DISNEY STUDIOS
PARIS18.jpgWALT DISNEY STUDIOS - PARIS - FRANCE - 2004

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 18:00
link do post | comentar | favorito

ARQUIVE-SE!
Provavelmente será este o resultado do inquérito (se se realizar...) às declarações do vice-presidente da Câmara do Porto.Mas o mais interessante ainda é a habitual posição de "virgem ofendida" do sr. Fernando Ruas, presidente da ANMP (Associação Nacional dos Municípios Portugueses). Segundo esta associação não deve de haver corrupção em qualquer Câmara do país... Mas não é isso que as pessoas constatam diariamente... E não vale a pena virem com a desculpa de que se nada se prova, é porque não existe. Todos sabemos que é muito difícil provar um caso destes, que as cumplicidades e as precauções dos corruptos normalmente são muitas... E já agora, qual terá sido o resultado deste "processo anunciado", de Março? Quantas queixas foram feitas, quantos processos estão "a andar"?Autarcas processam Saldanha Sanches - D.N. 1/03/2005A Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) anunciou que irá processar judicialmente o fiscalista Saldanha Sanches por causa das suas declarações ontem publicadas no DN. "O número de autarcas que exigem luvas para instalar empresas é assustador", disse Saldanha Sanches, despertando uma forte reacção dos representantes dos eleitos locais."O dr. Saldanha Sanches tinha a obrigação de dizer quais são os autarcas corruptos que sabe existirem, porque a acusação generalista é extremamente injusta", declarou ontem Fernando Ruas, o presidente da ANMP e da Câmara de Viseu. "Vou aconselhar todos os meus colegas a notificá-lo pessoalmente através dos seus advogados, perguntando se é a eles que se refere se não obtiverem resposta, deverão então processá-lo", diz o presidente da Associação, prometendo ser um dos primeiros a enviar a notificação.(artigos completos em anexo)Com a devida vénia à Lusa Porto: Associação de Municípios desafia Paulo Morais a dizer quem é corrupto Porto, 25 Ago (Lusa) - A Associação Nacional dos Municípios Portugueses repudiou hoje as acusações do vereador do Urbanismo da Câmara do Porto de que existem municípios que cedem ou cederam a pressões do "lobby" imobiliário e desafiou-o a denunciar quais.Em entrevista à revista Visão, Paulo Morais afirma que "o Urbanismo é, na maioria das câmaras, a forma mais encapotada e sub- reptícia de transferir bens públicos para a mão de privados"."Nas mais diversas câmaras do País há projectos imobiliários que só podem ter sido aprovados por corruptos ou atrasados mentais", declara Paulo Morais na entrevista, sem no entanto especificar a que projectos e municípios se refere.O presidente da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP), Fernando Ruas, em declarações à Agência Lusa, afirmou estar "contra o tempo e o modo" como o vice-presidente e vereador do Urbanismo da Câmara do Porto faz as acusações."Não me parece correcto que, quando está para sair, venha falar destas coisas", disse Ruas, referindo-se ao facto de Paulo Morais não fazer parte da lista PSD/CDS-PP que vai concorrer às eleições autárquicas de Outubro.O mesmo responsável acrescentou que Paulo Morais, antes de revelar publicamente alegadas pressões nos pelouros do Urbanismo "na maioria das Câmaras do país", devia denunciar essas situações aos organismos que tem disponíveis ao seu alcance, como inspecções, Polícia Judiciária, tribunais e/ou Tribunal de Contas.Fernando Ruas desafiou Paulo Morais a denunciar as situações alegadamente ilegais de que tem conhecimento, afirmando que "tem o dever e a obrigação de o fazer".Na mesma entrevista, Paulo Morais diz ter sofrido "pressões e cunhas de dezenas de pessoas, da forma mais ostensiva, inclusive a nível governamental" relativamente a projectos e acrescenta que "os pelouros do Urbanismo das maiores câmaras são o local onde tudo se joga"."O vereador tem que dizer quem o pressionou e quais as câmaras que têm este tipo de problemas, mesmo que só aponte uma", declarou Fernando Ruas à Lusa.O presidente da ANMP criticou ainda a forma como Paulo Morais coloca o problema, ao afirmar que o seu pelouro do Urbanismo é de confiança e não cede a pressões, existindo outros que não são assim."Isto faz pensar que Paulo Morais é alguém que é despeitado e corre o risco de perder credibilidade caso não concretize as acusações", considerou Fernando Ruas.Para o responsável da ANMP, as declarações de Paulo Morais só aparecem agora pelo facto do vice-presidente da Câmara do Porto ter sido afastado das listas da coligação PSD-CDS-PP para a autarquia."Estas declarações, que não são, no entanto, para deitar fora ou esquecer, tornam-se muito complicadas para os 308 municípios portugueses", considerou Fernando Ruas.A Agência Lusa tentou contactar o vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, mas até ao momento tal não foi possível.JAP.----------------------------------------------------------------------Autarquias: IGAT vai realizar averiguação após declarações de Paulo Morais Lisboa, 25 Ago (Lusa) - O secretário de Estado adjunto e da Administração Local, Eduardo Cabrita, determinou hoje à Inspecção- Geral da Administração do Território (IGAT) a realização de uma averiguação preliminar acerca das denúncias feitas pelo vice- presidente da Câmara do Porto, Paulo Morais.Em entrevista à revista Visão, o vice-presidente e vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, Paulo Morais, acusa várias autarquias de cederem a pressões de empreiteiros e partidos políticos para aprovação de determinados projectos urbanísticos.O autarca afirma que "o urbanismo é, na maioria das Câmaras, a forma mais encapotada e sub-reptícia de transferir bens públicos para a mão de privados" e que "nas mais diversas Câmaras Municipais do país há projectos imobiliários que só podem ter sido aprovados por corruptos ou atrasados mentais", sem especificar a que projectos e municípios se refere."Face às declarações feitas à comunicação social pelo vice- presidente da Câmara Municipal do Porto, Paulo Morais, o secretário de Estado adjunto e da Administração Local, Eduardo Cabrita, determinou ao IGAT a realização de uma averiguação preliminar para apuramento de factos justificativos para a abertura de inquérito", refere uma nota oficial.Entretanto, no seguimento das afirmações de Paulo Morais à Visão, o Bloco de Esquerda (BE) exigiu hoje ao procurador-geral da República, José Souto de Moura, que ordene uma investigação às denúncias de Paulo Morais sobre pressões a que teria sido sujeito enquanto responsável pelo pelouro do Urbanismo."É fundamental que Paulo Morais preste esclarecimentos em sede própria, dando nome às coisas e que Rui Rio diga o que se passa", defendeu o cabeça-de-lista do BE à autarquia do Porto, João Teixeira Lopes.Paulo Morais, que não integra a lista de Rui Rio para as próximas eleições autárquicas de 09 de Outubro, disse ainda à Visão que foi pressionado por membros de partidos políticos e do actual e anterior Governo para dar "luz verde" a determinados projectos que não reuniam as condições para serem aprovados.Sem referir nomes, Paulo Morais assegurou que nunca cedeu a essas pressões.A Procuradoria-Geral da República (PGR) já anunciou que o Ministério Público vai apurar a eventual existência de ilícitos criminais suscitados por declarações do vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, Paulo Morais.FC.Com a devida vénia`ao Diário de Notícias Autarcas processam Saldanha Sanches Luís Miguel VianaRudolfo Rebêlo A Associação Nacional dos Municípios Portugueses (ANMP) anunciou que irá processar judicialmente o fiscalista Saldanha Sanches por causa das suas declarações ontem publicadas no DN. "O número de autarcas que exigem luvas para instalar empresas é assustador", disse Saldanha Sanches, despertando uma forte reacção dos representantes dos eleitos locais."O dr. Saldanha Sanches tinha a obrigação de dizer quais são os autarcas corruptos que sabe existirem, porque a acusação generalista é extremamente injusta", declarou ontem Fernando Ruas, o presidente da ANMP e da Câmara de Viseu. "Vou aconselhar todos os meus colegas a notificá-lo pessoalmente através dos seus advogados, perguntando se é a eles que se refere se não obtiverem resposta, deverão então processá-lo", diz o presidente da Associação, prometendo ser um dos primeiros a enviar a notificação.Saldanha Sanches desvaloriza estas ameaças de o levarem a tribunal. "Era mais saudável que os autarcas reagissem tomando medidas contra a corrupção", riposta o professor de Direito Fiscal, não retirando uma vírgula às suas acusações passadas (ver frases ao lado). E alude a que "há, realmente, autarcas honestos e seria bom que esses reagissem para limpar a imagem", em vez de embarcarem numa reacção corporativa. Quanto aos processos de que se vê agora ameaçado Saldanha diz - tal como fez quando a ex-ministra da Justiça Celeste Cardona o processou - que estes "são juridicamente inviáveis".Artur Trindade, secretário-geral da ANMP, não acredita nessa inviabilidade e garante que o fiscalista, "desta vez, não escapa!" Artur Trindade tem mantido uma troca de correspondência muito dura com Saldanha Sanches desde as suas declarações à revista Focus em Março de 2002 (ver frases ao lado). Nas suas cartas, escritas em papel timbrado da Associação e dirigidas à residência do professor de Direito Fiscal em Lisboa, aponta- -lhe uma "postura cobardolas que resulta da ausência de coragem para denunciar situações concretas". O secretário-geral entende que Saldanha Sanches tem nesse capítulo especiais responsabilidades, "uma vez que deve ter informações privilegiadas sobre investigações criminais que envolvam autarcas" - uma alusão à mulher do fiscalista, Maria José Morgado, magistrada do Ministério Público e ex-directora da Direcção Central de Investigação da Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira, da Polícia Judiciária.Responsabilidade. Não é de hoje, nem é um exclusivo de Saldanha Sanches, a alusão à corrupção nos titulares dos órgãos de poder local portugueses. Há pouco mais de um mês, no programa 'Prós e Contras' da RTP, o ex-presidente Mário Soares afirmava que "se faz muito o elogio do poder local, mas passa hoje muita corrupção por ele". Soares acrescentou que "o poder local tem sido responsável por muitas das coisas que se atiram neste momento contra Estado. Isso tem de dar uma volta", continuou o ex-presidente, "os partidos têm de ser responsáveis quanto às escolhas que fazem em relação aos candidatos às autarquias". Artur Torres Pereira, presidente da ANMP até ao início dos anos 90, distingue entre este tipo de afirmações e a forma como se encara, de uma forma geral, o problema da corrupção em Portugal. Quanto às afirmações, e em particular no que respeita à de Saldanha Sanches, o ex-autarca diz que, "com toda a franqueza, não parece muito saudável que tal afirmação - gravíssima - seja proferida de uma forma tão vaga e abstracta". E não lhe parece saudável "porque não conduz a nenhum resultado prático, e devia conduzir". Pela sua parte, considera "indispensável, e de toda a utilidade, a denúncia de qualquer tipo de corrupção".Quanto à corrupção, Torres Pereira afirma que "é um dos problemas de fundo do país" e um dos que mais "tem minado a confiança dos cidadãos" nas instituições "Deve ser encarado de frente com métodos de ataque e decisões corajosas, tomadas por políticos corajosos." O ex-presidente da ANMP elege a desburocratização e a simplificação administrativa como um primeiro passo indispensável para uma "terapia preventiva" dos mecanismos da corrupção.Fernando Ruas recorda que a ANMP há vários mandatos sustenta que o número de inspecções aos municípios, actualmente com uma regularidade próxima dos sete anos, deveria aumentar "para, pelo menos, uma por mandato". E sublinha igualmente as obrigações de transparência a que os eleitos locais estão vinculados, como a entrega de declarações de rendimentos ao Tribunal Constitucional. "Não nego que o problema da corrupção exista", concede o presidente da ANMP, "mas o melhor serviço que se pode prestar é apontar os casos concretos".

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 15:00
link do post | comentar | favorito

ETAPAS - TORQUATO DA LUZ
Não te detenhas nos corredores sombrios,são apenas etapas que importa ultrapassar.De qualquer modo, não passam de episódiose têm forçosamente um fim.Os precipícios só existemna cabeça de quem os inventa.Nunca cedas ao medo das viagens longas,de que a vida também se faz.Na primeira carruagem dos comboios nocturnosviaja sempre a madrugada.Quando o sol te acordar, verás que o pesadelonão passou disso mesmo, um pesadelo.Torquato da Luz

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 09:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

CHRIS GEOFFROY - A última...

BOLIVAR LUSÍADAS PROTAGON...

ANTÓNIO MEXIA - É SÓ COIN...

PROGRESSIVIDADE FISCAL

MENINAS E MENINOS DE OURO

CÂNTICO NEGRO - JOSÉ RÉGI...

ANTÓNIO COSTA, DEMITA-SE!

DESERTIFICAÇÃO...

MONUMENTO DE HOMENAGEM AO...

O ASTÉRIX QUE SE CUIDE!

Banner Publipt
arquivos

Fevereiro 2019

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds