Segunda-feira, 13 de Fevereiro de 2006
A EXPERIÊNCIA DE AGOSTINHO DA SILVA
Como resumiria a sua experiência?Dizendo que vale a pena jogar na confiança; que é bom estar de sobreaviso quando tudo nos corre bem; que o máximo da maré baixa é a véspera exacta do encher da maré; que não é mau cantar-se quando chove; que não façamos muito má cara às nossas fraquezas, porque nos pode ficar o rosto demasiado franzido perante as fraquezas dos outros; que não prejudica bater às portas, quer se abram ou não; que não julguemos ser senhores da verdade; que nada excluamos em nós para ficarmos mais belos, porque nos arriscamos a ser as galinhas tristes que os jardineiros de mau gosto talham dos fortes buxos; e, finalmente, que não demos importância às conclusões que tiraram os outros de suas experiências: para nós só são fecundas e válidas as que nós próprios tivermos.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 18:00
link do post | comentar | favorito

UNS POEMAS DE AGOSTINHO (III)
Não sei quem manda na vidamas a quem for eu me entregoe o que queira me decida.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 17:00
link do post | comentar | favorito

AGOSTINHO DA SILVA: TORNAR-SE CONTAGIOSO
O importante, disse-o um dia a alguém que me pedia conselho, é ser-se o que se é e tornar-se contagioso. A primeira responsabilidade que nos assiste é saber o que se é: continuo convencido de que todos nós nascemos com uma partitura na cabeça. Depois, tantas vezes, ou porque nos faltou mestre de música, ou porque não encontramos piano à mão, vamo-nos entretendo a tocar coisas que não são da nossa partitura. Há então que fazer o esforço, individual ou colectivo, de achar o mestre e o piano que a partitura exige. Conseguido isso, devemos tornar-nos contagiosos.Temos na história de Portugal indivíduos exemplares nesse esforço.Camões: desde que resolveu ser Camões, persistiu até ao fim, contra ventos e marés, em tocar a sua partitura, negando-se a ser o que os outros queriam que ele fosse e sendo ao mesmo tempo os diversos que foi. Só lhe faltou inventar ele os heterónimos que foi, para se irmanar a Fernando Pessoa. Deixou-nos esse trabalho a nós: podemos percorrer a obra que ele foi assinando com o mesmo nome e inventar os heterónimos que cabem a cada composição.António Vieira: outro homem de heterónimos. Ora enverga a modesta roupeta da Companhia, ora o traje ligeiro de andar nos sertões do Brasil, ora a sumptuosa indumentária do diplomata europeu. Também podemos percorrer-lhes os actos e os escritos e inventar heterónimos que os designem na sua diversidade.Fernando Pessoa: poupou-nos muito do trabalho de invenção, pois deixou sair de dentro de si os seus heterónimos.De comum nos três: nenhum deles se rendeu. Com a manha muito portuguesa em Vieira de se não render rendendo-se a uma Companhia cuja regra é que os seus membros se lhe abandonem como cadáveres activos. Mas pobre da Companhia, que passou a obedecer a Vieira e a andar a reboque dos seus planos grandiosos!Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 16:00
link do post | comentar | favorito

ESPANHA....
É evidente que a Espanha está no caminho das autonomias e tudo o que daí há a supor, a não ser qualquer acontecimento histórico muito extraordinário, é que as autonomias se vão acentuando, podendo nós pensar que se chegará, um dia, a uma grande independência de carácter jurídico de cada uma das regiões, o que não quer dizer uma independência de carácter cultural.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 15:00
link do post | comentar | favorito

UNS POEMAS DE AGOSTINHO (II)
A quem faz pão ou poemasó se muda o jeito à mãoe não o tema.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 14:00
link do post | comentar | favorito

NÃO INTERESSA QUEM DESCOBRIU....
Portugal precisa de ter um domínio seguro da técnica moderna mas segundo o preceito de Unamuno: não nos importa absolutamente nada quem é que descobriu e domou a electricidade. O que nos interessa é saber onde está o interruptor… Portugal precisa de ressurgir cá dentro e de ressurgir na curiosidade do mundo.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 13:00
link do post | comentar | favorito

AGOSTINHO DA SILVA E AS UNIVERSIDADES
Todas as universidades deviam empurrar o sujeito a ser autodidacta. Deviam ter um ambiente tal que aquele que não se instruísse por ele próprio estava mal. Mas o que acontece é que os sujeitos vão para ouvir o professor, decorar o mais possível, portar-se bem na aula, fazer uma tese, se for caso disso, e pronto, está o caso arrumado… e ainda por cima saiem de lá com uma terrível ideia: a de que estudaram para terem uma profissão… ora hoje, sobretudo, isso é muito perigosos porque vamos desembocar num mundo em que não haverá profissões… elas só existirão enquanto a coisa não passa a Mundo Novo, porque quando passar… através da técnica… vamos ter muitos tempos livres… e, realmente, a ideia de todos nós é não termos profissão nenhuma…Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 12:00
link do post | comentar | favorito

UNS POEMAS DE AGOSTINHO (I)
E posto que viver me é excelentecada vez gosto mais de menos gente.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 11:00
link do post | comentar | favorito

A RELIGIÃO DE AGOSTINHO DA SILVA....
Claro que sou cristão; e outra coisas, por exemplo budista, o que é, para tantos, ser ateísta; ou, outro exemplo, pagão. O que, tudo junto, dá português, na sua plena forma brasileira.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 10:00
link do post | comentar | favorito

AGOSTINHO DA SILVA E OS OBSTÁCULOS
Obstáculo foi coisa que jamais me importou; procurei sempre seguir nisto a lição dos rios: tiram a extensão e variedade de seu curso daquilo que se lhes opõe; ou das pedras: depende do que somos esbarrarmos nelas e nos queixarmos ou subir-lhes em cima e ver mais longe. Se eu fosse judeu da diáspora, o que não calhou, viveria de esperanças; como nasci com Cristo e vai toda a humanidade, ao contrário do que às vezes parece, de volta ao Paraíso, dentro e fora de nós se construindo, vivo de certezas; sempre apoiado na bengala da dúvida metódica, claro está.Prof. Agostinho da Silva


publicado por João Carvalho Fernandes às 09:00
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

CHRIS GEOFFROY - A última...

BOLIVAR LUSÍADAS PROTAGON...

ANTÓNIO MEXIA - É SÓ COIN...

PROGRESSIVIDADE FISCAL

MENINAS E MENINOS DE OURO

CÂNTICO NEGRO - JOSÉ RÉGI...

ANTÓNIO COSTA, DEMITA-SE!

DESERTIFICAÇÃO...

MONUMENTO DE HOMENAGEM AO...

O ASTÉRIX QUE SE CUIDE!

Banner Publipt
arquivos

Fevereiro 2019

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds