Quarta-feira, 30 de Junho de 2010
SR- PRIMEIRO-MINISTRO, SEJA CONSEQUENTE....
NACIONALIZE A PT!

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 19:00
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 23 de Junho de 2010
Julgamento de activistas de Cabinda adiado para Julho
304264.jpgCom a devida vénia ao PúblicoEstava previsto para hoje mas, à última hora, foi adiado para 12 de Julho, o julgamento em Cabinda do padre Raúl Tati e de outros activistas dos direitos humanos detidos ao abrigo da Lei dos Crimes contra a Segurança de Estado, aprovada em 1978O julgamento foi adiado tendo em conta um pedido de inconstitucionalidade da acusação apresentado pelos advogados Luís Nascimento e Idalina Vieira; e consequentemente encaminhado todo o processo para o Tribunal Constitucional de Angola, a fim de que o analise.A sessão prevista para 12 de Julho deverá ter em conta o que o Tribunal Constitucional disser sobre esta acusação de “autoria material de um crime de outros actos contra a Segurança Interior do Estado".O antigo vigário-geral da diocese de Cabinda, o economista Belchior Lanso Tati e outros activistas dos direitos humanos foram presos depois do atentado de Janeiro contra o autocarro que transportava a selecção de futebol do Togo que ia participar no Campeonato Africano (CAN 2010). No incidente, reivindicado por uma facção independentista, registaram-se dois mortos.No despacho de pronúncia alega-se que os réus tinham em seu poder documentos e panfletos que atentavam contra a segurança de Angola, por neles se fazer a apologia dos ideais de autodeterminação da província de Cabinda, tal como desde 1963 é preconizado pela FLEC, a frente de libertação presidida por Nzita Henriques Tiago e que se desdobra em diferentes facções.Os advogados ainda tentaram hoje de manhã pedir a liberdade condicional do padre Tati, do economista Belchior Tati e do advogado Francisco Luemba, mas o pedido foi indeferido.A propósito deste processo, a eurodeputada socialista portuguesa Ana Gomes escreveu no blogue Causa Nossa que “esta campanha repressiva destinada a silenciar vozes incómodas em Cabinda desonra Angola e, obviamente, não serve os interesses dos angolanos, agravando, em vez de resolver, a questão de Cabinda”.


publicado por João Carvalho Fernandes às 16:00
link do post | comentar | favorito

Green Movement moves to bypass its leaders
Via: IRANIAN.COMhas_0.jpgby Mahmoud Delkhasteh The gap between the reformist leaders of the Green movement and its supporters began to show itself when the initial question 'where is my vote?' was replaced by the chant: 'freedom, independence, Iranian republic'. The incompatibility between the reformist leaders' demands for a re-run of the election and the rank-and-file's revolutionary demand to replace this regime with a democratic government has resulted in a schizophrenic identity as each side attempted to pull the movement in its own direction. This has weakened the movement in some ways. But the continuation of the struggle has also hastened the process of the regime's disintegration. There is no longer just a clash between reformists and conservatives, but now the widening and deepening of fault lines between the rainbow coalition of conservatives whose support for the rigged election is now being exposed in public. One astonishing example was the anniversary of Khomeini's death on 3 June.After the regime failed to materialize the millions of mourners it had promised, it humiliated Khomeini's grandson, who had been invited by the supreme leader. Ahmadinejad arrived late to the platform, prolonged his speech to leave little time for Hassan Khomeini, and then organized heckling so that he had to stop unfinished at his grandfather's mausoleum. The supreme leader then kissed Hassan Khomeini as if nothing had happened. The repercussions of this performance were severe. Not only were armed confrontations between the guards prevented at the last minute, but some conservative leaders in the parliament, such as Ali Motahari, indirectly but openly attacked the supreme leader, who prior to the election had been treated as a demigod. If this was not enough, Rafsanjani wrote an open letter criticizing the supreme leader for remaining silent when attacked by Ahmadinejad's government. On an apparently different matter, Ayatollah Jannati, the arch-conservative head of the Guardian Council, openly chastised Ahmadinejad for speaking about violations of the constitution, reminding him that is not his place to talk about such issues.In other words, the regime is disintegrating just as it is meant to be demonstrating a united front. It seems to be trapped by the throes of a powerful death instinct. This process intensified when Khamenei turned a deaf ear to the movement's initial demands, effectively declaring war on Iranians. It seems he did not want to make the same mistake as the Shah, who famously stated: "I have heard the voice of your revolution." However, Khamenei's iron-fist policy has backed the regime into a corner, in which the slightest concession will have a snowball effect. It is left with no choice but to increase the levels of violence- a policy that has led to disillusionment and frustration at all levels of the regime.The leaders of the reformist movement have shown themselves abjectly incapable of using this as an opportunity to take the initiative and promote even their own, very limited agenda. Their lack of vision, initiative and decisiveness stands in stark contrast to the leaders of previous revolutions in 1905, 1951 and 1979. They neither understand nor accept the revolutionary nature of the movement itself, and have even recently begun talking about a return to the "golden years of Khomeini", as if Iranians do not know that these were tantamount to despotism, war, mass murder and many broken promises. So far, their only initiative was to ask the government permission to hold a silent demonstration on the anniversary of the last year's election. This was obviously refused, even though constitutionally there is no need to request permission for demonstrations anyway. Shockingly, they did not have a Plan B. Instead of developing one, such as asking people to stay home to demonstrate the regime's isolation by empty streets, they canceled the demonstration and even joined the regime in warning people to stay off the streets in fear of a crackdown. Despite this retreat, there were spontaneous demonstrations in universities and mainly in back streets and alleys to avoid the guards, still around 1200 got arrested. This sporadic, but under the circumstances extremely daring challenge was an unmissable sign that the movement is beginning to bypass its leaders. The move was even felt in London, where at a demonstration in front of the Iranian embassy on 12 June, unlike in previous protests, not a single chant was heard in their support.It is not only the ruling mafia that has trapped itself in its own doing, but also Karroubi and Mousavi. They are trapped in their reformist beliefs, but much more importantly, by their past. It might be that they know that if the regime does collapse, they will be called to account for many actions that closed down the democratic possibilities of the 1979 revolution and made it into what we see today. There is compelling information, for example, about Karroubi's role in clandestine agreements to delay the release of American embassy hostages until after Reagan's election, or about the harsh forms of oppression meted out during Mousavi's premiership, most notably the massacre of over three thousand prisoners in 1988.This possible dilemma is yet another reason for organizing a general amnesty for all those within the regime, based on principles of truth and reconciliation. The precedent is already being set; the latest example being the confession of Khatami's deputy Interior Minister, who in an open letter entitled "Father, mother, we are accused again" talks about the strangling of freedoms after the revolution. In any case, it is now clear that the Green movement is bypassing its reformist leaders. The hope is that before being bypassed completely, they will bypass themselves and actually join the movement, so that Iran's century-long struggle for democracy and independence will not be prolonged even a day longer.First published in HuffingtonPost.com.AUTHORMahmoud Delkhasteh is the author of 'Islamic Discourses of Power and Freedom in the Iranian Revolution'.

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 13:00
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 21 de Junho de 2010
7-0 !
portugal-flag.jpg

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 14:59
link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 16 de Junho de 2010
HECTOR MASEDA GUTIÉRREZ - ENTERRADOS VIVOS
Via: CUBANETUma obra que permite constatar melhor qual o dia-a-dia dos cubanos, escrito por um dissidente que está preso há quatro anos, depois de uma condenação a vinte anos. Vale a pena ler estas cerca de 600 páginas. No futuro heverá um terceiro volume.Héctor Maseda Gutiérrez es un hombre que ama la libertad y gusta de la verdad. La libertad para él ha sido, y es, el engrandecimiento del ser humano, el respeto al semejante y la posibilidad de pensar y expresarse que tiene cada individuo. La verdad no la ve como única e irreversible, sino que la asume plural, abierta, susceptible de cambios para que en su fortaleza no devenga dogma irrevocable. Gusta de la discusión sin censura y del diálogo aportador. Nunca lo vi imponerse como dómine a pesar de su sabiduría. Nunca lo ví dictar desde la alta cátedra humana que es. De sencillez se engalana su espíritu. De nobleza y generosidad se visten sus acciones. De tesón se construye su cotidianeidad. De perseveracia se hacen sus anhelos. Alcanzó la dimensión de héroe sin proponérselo. Sólo aspiraba a ser un buen ser humano.Un día me lo presentaron porque él quería hacer periodismo independiente. Venía de la política disidente. Era uno de los líderes del Partido Liberal. De palabra fácil y pensamiento hondo pidió que lo entrenara. No llegaba a solicitar propaganda para su tendencia política ni a buscar lauros personales. Arribaba a incorporarse al periodismo como búsqueda de la verdad, como vía de apoyo y de defensa de toda la sociedad cubana. Sabía de las imposiciones de la política oficial y de la manquedad de la información que padecía, y aún padece, la nación. Traía sólo la intención de ser útil. Trabajamos juntos por muchos años. Fue para el Grupo de Trabajo Decoro equilibrio y disciplina. En poco tiempo se convirtió en uno de los periodistas más agudos y prolijos de la pequeña agencia. Si en un principio, quizás herencia de sus quehaceres políticos, sus textos tenían un aliento editorializantes, muy pronto alcanzó pleno dominio de las técnicas periodísticas y sus artículos, reportajes y comentarios se distinguieron por su objetividad, veracidad y pulcritud profesional.Y, tal vez, fue eso lo que no le perdonaron los represores gubernamentales, que fuera lumbre de su propio fuego, que se alzara como individualidad valiosa e imitable, que su ejemplar conducta, su sentido liberador lo distinguiera. Con veinte años de cárcel quisieron reducirlo, doblegarlo, acoquinarlo. Pero volvieron a chocar con su hombradía. Cuatro años lleva ya Maseda en los calabozos de un régimen despótico y cruel y su hidalguía sigue incólume. Desde la oscuridad de la celda en que lo han confinado se ha erguido sin temores. Desde su celda ha brotado una luz que los agricultores de la sombra desconocen y temen. La luz que envuelve a los amantes de la libertad y la verdad.De manos de su esposa, Laura Pollán, nos han llegado los manuscritos que Maseda, con entereza e inteligencia, ha trazado en la lobreguez de su encierro. Es un libro lúcido y desgarrador. El testimonio de un hombre al cual las calamidades personales no han hecho más que radicalizarlo en su afán de borrar las calamidades que padece su pueblo. La historia fiel de los desesperados y fallidos intentos de un gobierno brutal de silenciar la verdad.Héctor Maseda se eleva en este libro. No hay fanfarronerías ni desplantes en sus narraciones. Hay eso sí, la confianza que los grandes hombres tienen en el futuro. Cuando se hable del presidio político cubano, habrá que acudir a este libro para saber cómo se crecían los héroes de una historia que no ha de repetirse cuando los seres humanos como Héctor Maseda hagan valer sus sueños.Manuel Vázquez Portal1º volumeenterrados.jpg2º volume:enterrados_port.gif

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 13:30
link do post | comentar | favorito

Domingo, 13 de Junho de 2010
Prá frente PORTUGAL!

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 22:33
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 8 de Junho de 2010
ANTÓNIO MANUEL COUTO VIANA - 1923/2010
NO FAROL DA GUIAPedi ao Farol da Guia,Pra que a nau não naufragasseNa noite que fôr o dia,Que fosse luz e a guiasse.E pedi mais:Que baloiçasse no arOs sinaisDo tufão que vai chegar,Pra que ao abrigo do caisA nau achasse lugar.E o primeiro farolDe aviso à navegaçãoNo mundo onde nasce o Sol,Não me disse sim nem não.Mas a âncora ancorada,Como fanal de bonança,Entre os muros da esplanada,Disse, sem me dizer nada:- Tem esperança!

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 19:33
link do post | comentar | favorito

VOLTEM CAMPEÕES!

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 00:03
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 4 de Junho de 2010
ESPELHO ÍNTIMO em 1º do top BARATA - Av. Roma
topten 002-1.JPGMerecidamente, a recente obra de Torquato da Luz, está em primeiro lugar no top de vendas da Livraria Barata - Avenida de Roma, 11-A, Lisboa

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 17:12
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 1 de Junho de 2010
MADEIRA - O MELHOR ERA EXTERMINÁ-LOS, COMO FIZERAM OS NAZIS!
Coito Pita desafia o PS-M a aceitar rever a lei eleitoral para afastar do parlamento "partidos como o PND"mordaca.gifO PSD-M vai apresentar um requerimento para a constituição de uma comissão de inquérito para "avaliar o comportamento dos orgãos de comunicação social na violação dos direitos da maioria". A promessa foi feita por Coito Pita, durante o debate de uma proposta do BE para revisão do estatuto da oposição que permita que os partidos com um único deputado possam promover a realização de debates parlamentares com a presença do Governo Regional.Coito Pita e o líder parlamentar do PSD-M, Jaime Ramos, garantiram que o actual regimento da ALM e o Estatuto Politico-Administrativo dão poderes aos partidos da oposição muito superiores aos que se verificam noutros parlamentos. Toda a oposição lembrou que a Assembleia Legislativa não cumpre a sua função de fiscalização do Governo, uma vez que o Executivo, pura e simplesmente, não se desloca ao parlamento.O deputado do PSD-M aproveitou a intervenção para assumir que o seu partido quer rever a lei eleitoral regional e para desafiar o PS-M a associar-se a uma proposta que altere a composição do parlamento. Coito Pita foi claro ao afirmar que "a existência do BE é importante para a Madeira",mas que "não é razoável que a democracia permita que um partido do tipo do PND exista e tenha voz parlamentar".

tags:

publicado por João Carvalho Fernandes às 21:26
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Junho 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
29
30


posts recentes

BOLIVAR LUSÍADAS PROTAGON...

ANTÓNIO MEXIA - É SÓ COIN...

PROGRESSIVIDADE FISCAL

MENINAS E MENINOS DE OURO

CÂNTICO NEGRO - JOSÉ RÉGI...

ANTÓNIO COSTA, DEMITA-SE!

DESERTIFICAÇÃO...

MONUMENTO DE HOMENAGEM AO...

O ASTÉRIX QUE SE CUIDE!

CHURCHILL - WE SHAL FIGHT...

Banner Publipt
arquivos

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds