Terça-feira, 12 de Junho de 2007
NÃO À OTA, NÃO A ALCOCHETE
Continuo a defender a manutenção da Portela e o aproveitamento, através de ampliação, de um dos pequenos aeroportos (militares ou civis) dos arredores de Lisboa, que seriam utilizados pelas low-coast.

Alcochete é mais barato que a Ota, mas continua a ser um projecto de um país rico, coisa que não somos!


publicado por João Carvalho Fernandes às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

OTA - ALCOCHETE
Retumbante vitória da oposição, como se ouvia ontem na Assembleia da República!

Pobres de espírito, nem percebem que a única coisa que aconteceu ontem, foi abrir uma auto-estrada para a vitória de António Costa na CML....

Quanto à Portela, mantem-se riscada do mapa....

E nada garante que no fim deste processo todo a escolha final não venha a ser novamente a Ota!


publicado por João Carvalho Fernandes às 11:00
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 25 de Maio de 2007
PARECE-ME QUE A OPÇÃO OTA SE ESTÁ A AFUNDAR!
Destaque Expresso Previsão avançada em seminário sobre protecção civilOta pode afundar em caso de sismoValentina Marcelino Se a área metropolitana de Lisboa for afectada por um sismo a Ota e o Seixal serão as zonas mais devastadas. ng1012814.jpgUm alto quadro da Autoridade de Protecção Civil (APC), responsável pela análise de riscos, conferencista no seminário sobre protecção civil que está a decorrer esta manhã em Lisboa, na Escola Prática da GNR, não tem dúvidas que a Ota e o Seixal seriam as zonas mais afectadas caso um sismo atingisse Lisboa.Durante a sua intervenção, a engenheira, Maria Anderson explicou, com base num estudo concluído em 2005, que Ota e Seixal são zonas onde o solo tem um elevado risco de liquefacção. Ou seja, se um sismo atingir essas áreas tudo o que está sobre os terrenos à superfície corre o sério risco de se afundar.Segundo um cenário provável traçado pela APC, os concelhos mais afectados em caso de sismo são Lisboa, Almada, Seixal e Vila Franca de Xira.Os cálculos da PC, baseados em estudos científicos, apontam para 10 mil mortos e igual número de edifícios totalmente destruídos, os desalojados rondarão os 270 mil.O dia depois de amanhãOs danos, contudo, não se ficam por aqui, se um sismo de grandes proporções voltar a devastar Lisboa, as infra-estruturas de socorro também serão gravemente afectadas. Dos quartéis de bombeiros existentes 22 por cento serão completamente destruídos, assim como 33 por cento de esquadras de polícia.Mais de metade dos hospitais, centros de saúde e clínicas também não resistirão à fúria dos elementos, e 57 por cento das escolas primárias e secundárias verão as suas instalações reduzidas a escombros. A pior factura será paga pelos edifícios ministeriais onde, segundo este estudo, o colapso será total.Numa região que representa 45 por cento do PIB nacional os prejuízos monetários poderão chegar aos 11 mil milhões de euros. Com Pedro Chaveca


publicado por João Carvalho Fernandes às 16:10
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 24 de Maio de 2007
MILHÕES DE PESSOAS?
Mas um dos argumento para a construção de um novo aeroporto não era o excesso de pessoas perto do actual? E na Ota, vivem milhões de pessoas?O ministro referiu, por duas vezes, que a Margem Sul do Tejo é um sítio "sem gente, sem turismo, sem comércio", um "deserto para onde seria necessário deslocar milhões de pessoas".


publicado por João Carvalho Fernandes às 10:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Sexta-feira, 18 de Maio de 2007
Livro ataca aeroporto na Ota
Com a devida vénia ao Diário EconómicoAna BaptistaSobem de tom as críticas contra a localização do novo aeroporto na Ota, desta feita num livro que reúne, pela primeira vez, várias vozes contra o projecto. “O erro da Ota e o futuro de Portugal” foi apresentado na Associação Comercial do Porto, e inclui vários textos inéditos e outros já publicados de Vítor Bento, presidente da SIBS, do sociólogo António Barreto, do engenheiro António Brotas ou do arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles, entre outros. São personalidades que “abrangem todas as áreas que dizem respeito ao novo aeroporto”, como explicou ao Diário Económico Mendo Castro Henriques, coordenador editorial do projecto.A obra reúne ainda representantes de várias alas políticas e alguns parlamentares, entre os quais os deputados do PSD Miguel Frasquilho e Pedro Quartin Graça. Nos últimos meses, a contestação ao aeroporto tem sido feita sobretudo pela direita parlamentar, que critica a falta de estudos técnicos que suportem a decisão. Confrontado com o tema do novo livro, o gabinete de Mário Lino, ministro das Obras Públicas, não quis comentar este novo coro de críticas, preferindo concentrar-se na urgência deste processo. Na última semana, foi notória a pressão do Governo para que o concurso para a privatização da ANA, concessão e construção do aeroporto seja lançado ainda durante o mês de Julho, altura em que ficarão concluídos todos os estudos necessários. Até agora, foram realizados 57 estudos e apenas cinco estão em falta - entre eles o de ordenamento de território e de impacto económico, em desenvolvimento pelo economista Augusto Mateus, que definirá o modelo de aeroporto a ser implantado na Ota.Até ao momento, só foi formado um grande consórcio, que envolve a Brisa, a MOta-Engil, a Somague, a OPCA, o BES, o BCP e a CGD para concorrer à obra de 3,1 mil milhões de euros. Mas outras empresas, como a australiana McQuarie ou as portuguesas Soares da Costa, Edifer, MSF e Bento Pedroso, já se mostraram interessadas em participar no projecto. Alheio às críticas, o Governo promete manter o rumo, sem dar sinais de recuo. O próprio ministro Mário Lino arrasou, há uma semana, as outras alternativas à Ota, classificando como “faraónicos” os projectos em Rio Frio e Poceirão. A margem sul tem sido a área mais falada para a construção do aeroporto, pela facilidade em fazer a ligação ao comboio de alta velocidade. Além destas, foram também apontadas como possibilidades Alcochete e Faia, que acabaram por ser descartadas por questões ambientais - principal razão para a escolha da Ota. Voltar a debater a OtaAlheios à pressa do Governo, os organizadores garantem que a publicação é apenas mais um passo. Nos próximos meses, outras iniciativas vão seguir-se para relançar o assunto em debates e conferências. “Este livro não pretende mostrar uma localização alternativa”, nem estas pessoas estão vocacionadas para fazer estudos”, prossegue Mendo Castro Henriques. Entre as 271 páginas dispersam-se opiniões sobre o tema, com reparos à gestão política do dossier. “Parece ter emergido uma corrente de pensamento que acredita que a superação da crise pode estar no investimento em grandes obras públicas”, acrescenta Vítor Bento, citando o manifesto de 13 economistas, assinado em 2005. Lá se questionava a utilidade pública de obras como a Ota ou o TGV, dúvidas que, dois anos depois, mantêm razão de ser. É preciso provar ainda “que os projectos são necessários; que não existem alternativas mais eficientes, que têm uma aceitável rentabilidade económica e social; que garantias contratuais ou extracontratuais são aseguradas aos privados”, cita o presidente da SIBS. Mais à frente, as críticas mudam de tom. “Toda a gente percebeu que a decisão foi mal preparada. Não suficientemente fundamentada do ponto de vista técnico”, escreve o sociólogo e ex-ministro socialista, António Barreto. “Para os ministros, Sócrates incluído, a Ota não suscita quaisquer dúvidas. (…) Estas declarações são sinais inequívocos de insegurança”. Barreto lembra que esta, como muitas outras, é uma decisão política, “uma grande obra”, “o sonho de qualquer governante banal”, o exemplo claro de que “os grandes interesses financeiros e da construção têm uma ilimitada capacidade de manobra”. Já Mendo Henriques – professor de Filosofia na Universidade Católica de Lisboa e ex-assessor do Instituto de Defesa Nacional – não acredita que o projecto vá avançar, dizendo mesmo que “é imperativo parar o erro que é a Ota”. Na sua opinião, deveria começar-se a pensar na construção de um aeroporto faseado e não de uma cidade aeroportuária, como já foi anunciado. Devia mesmo, acredita, “reservar-se um espaço na margem sul, criar um aeroporto para as ‘low cost’ por exemplo no Montijo, e depois, se ambos estiveram saturados, construir-se um novo aeroporto”. Recheado de críticas, o livro avança para mais 200 páginas onde se procura provar que a Ota é um erro. E que o o futuro de Portugal deve passar por outro projecto. “É urgente tomar uma decisão acertada e eficaz para uma localização que garanta que Portugal não se vai enfiar, literalmente, num desastroso poço sem fundo como a Ota demonstra ser”, conclui Luís Gonçalves, outro dos autores do livro.Uma cidade aeroportuária à escala europeiaAugusto Mateus não assume uma postura favorável à edificação do novo aeroporto na Ota, mas partilha da posição do Governo de que é urgente avançar com a construção de uma nova infra-estrutrura e de que a Portela já não tem muito mais anos de vida. “Não é tempo de estar à procura da localização perdida”, disse na semana passada, durante um debate na Ordem dos Engenheiros. Augusto Mateus acredita que as dificuldades da Ota são facilmente ultrapassáveis e que se poderá construir um aeroporto à escala europeia. “Não é possível um aeroporto que transporta 11 mil milhões de dólares de mercadorias não ter um terminal de carga decente”, disse. Esta será uma das estruturas que a ‘sua’ cidade aeroportuária terá. O estudo só estará concluído em Julho, mas na Ota poderão surgir cerca de quatro mil hectares de aeroporto e actividades a ele ligadas, como hotéis, centros de congressos, projectos imobiliários ou centos comerciais. Para o economista, o novo aeroporto tem de ser capaz de impulsionar a economia do país.


publicado por João Carvalho Fernandes às 01:33
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Terça-feira, 13 de Dezembro de 2005
OTA - O GRANDE EMBUSTE (V)
Como é que é possível que se fale em gastar na Portela 400 milhões de euros paralelamente à construção da Ota, quando em 1999 o Ministro das Obras Públicas de então, Ferreira do Amaral dizia que com 20 milhões de contos (um quarto daquela verba....) seria possível (estudo da ANA) recuperar o aeroporto do Montijo para tráfego civil?


publicado por João Carvalho Fernandes às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Terça-feira, 29 de Novembro de 2005
OTA - O GRANDE EMBUSTE (IV)
Quem nos garante que o aeroporto da Ota vai custar os três mil milhões de euros de que se fala?

Alguém se responsabiliza se houver derrapagens? É que no passado este tipo de obras em Portugal (CCB, Casa da Música, Estádios Euro) acabou sempre com dispêndios bem superiores ao orçamentado!

Ainda por cima, o novo aeroporto de Oslo, algo comparável à Ota, está orçamentado em cinco mil milhões de euros de custo!


publicado por João Carvalho Fernandes às 18:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 28 de Novembro de 2005
OTA - O GRANDE EMBUSTE (III)
Para quê construir um novo aeroporto quando o da Portela pode ser expandido, conforme tem sido provado pelos estudos do especialista em transportes Rui Rodrigues?Portela.JPG


publicado por João Carvalho Fernandes às 10:00
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Sexta-feira, 25 de Novembro de 2005
OTA - O GRANDE EMBUSTE (II)
Dizem-nos que é impossível ampliar a capacidade da Portela porque não há espaço onde estacionar os aviões.

É ou não verdade que o espaço onde está localizado o aeroporto militar de Figo Maduro seria mais do que suficiente para duplicar a capacidade de estacionamento da Portela? Será que os militares não podem abandonar Figo Maduro? Então porque é que já anunciaram que também querem ir para a Ota?


publicado por João Carvalho Fernandes às 13:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

OTA - O GRANDE EMBUSTE (I)
É ou não verdade que a pista do Aeroporto da Portela conhecida como "taxi-way" pode ser ampliada, mais concretamente prolongada, ficando do mesmo tamanho da actualmente existente, ou seja duplicando a capacidade de aterragens e descolagens existente?


publicado por João Carvalho Fernandes às 11:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito


mais sobre mim
pesquisar
 
Fevereiro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28


posts recentes

NÃO À OTA, NÃO A ALCOCHET...

OTA - ALCOCHETE

PARECE-ME QUE A OPÇÃO OT...

MILHÕES DE PESSOAS?

Livro ataca aeroporto na ...

OTA - O GRANDE EMBUSTE (V...

OTA - O GRANDE EMBUSTE (I...

OTA - O GRANDE EMBUSTE (I...

OTA - O GRANDE EMBUSTE (I...

OTA - O GRANDE EMBUSTE (I...

Banner Publipt
arquivos

Fevereiro 2019

Junho 2018

Abril 2018

Novembro 2017

Setembro 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Agosto 2015

Abril 2015

Março 2015

Janeiro 2015

Novembro 2014

Setembro 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

Dezembro 2003

Novembro 2003

Outubro 2003

Setembro 2003

Agosto 2003

Julho 2003

Junho 2003

Maio 2003

Abril 2003

Março 2003

tags

todas as tags

favoritos

Dos sítios que valem a pe...

Fazer um cruzeiro: yay ou...

Hoje vou contar-vos uma h...

Boa Noite e Bom Descanso

links
Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds